Momento na Rede

O projeto "momento na rede" é a uma novidade da UTI Neonatal Mamãe Canguru do Hospital Santa Rosa. O projeto é inédito nos hospitais da capital e foi implantado pela equipe médica, de fisioterapia e de enfermagem da UTI Neonatal.

Nas últimas duas décadas, duplicaram as chances de vida de bebês que nascem com pouco mais de meio quilo, devido ao notável desenvolvimento dos cuidados intensivos neonatais. Por essa razão, os serviços de fisioterapia respiratória e motora vêm se tornando imprescindíveis dentro do Centro de Terapia Intensiva Neonatal. O processo de recuperação dos neonatos é mais eficaz, as respostas orgânicas aos procedimentos aplicados são mais positivas e possíveis sequelas podem ser evitadas e tratadas precocemente.

Dentro desse contexto, destaca-se a mais nova experiência em humanização implantada pela equipe da UTI Neonatal do Hospital Santa Rosa com o uso de "redinhas" para recém-nascidos prematuros. "É algo novo. Ainda não existe em nenhum outro centro da região, porém, de extrema importância e contribuição para o adequado desenvolvimento neuropsicomotor do recém-nascido".

A redinha, simula o útero materno, proporcionando uma reorganização tônica e comportamental do bebê prematuro, na medida em que favorece o tônus flexor próprio do recém-nascido, prejudicado pelas posturas convencionais utilizadas na UTIN.

A rede favorece ainda a estimulação do sistema vestibular, das reações de equilíbrio e de proteção e a integração sensorial, fatores prejudicados pela prematuridade do bebê.

"É bastante notável como eles se sentem mais confortados e mais acalentados quando estão na rede", entretanto, que elas não substituem as mães. "Apenas tornam a internação um pouco menos dolorosa para eles, além de contribuir para o seu desempenho neuropsicomotor".

Além do método canguru, descrito anteriormente, é realizado outro no sentido de garantir conforto aos RNs. Isto na intenção de aproximar ao máximo do conforto que tiveram na vida intra-uterina. Não é uma ideia inovadora, ela já é utilizada em outras regiões do país.

Neste método os RNs que não se encontram em alto risco e que não necessitam de suporte de oxigênio, são colocados em redes que são dispostas dentro das incubadoras. Assim, os prematuros se posicionam da maneira mais confortável possível. A princípio a equipe de enfermagem suspeitava deste método, não acreditavam que realmente poderia trazer mais conforto aos RNs, porém após a primeira experiência ficou comprovado o sucesso deste método.